Encontro e reencontro

Inspirada pelo primeiro dia do V Encontro de Cinema Negro Brasil, África e Caribe e pela emoção por ter encontrado os cineastas senegaleses, pois me remete diretamente ao meu querido país Senegal, reedito aqui no blog as palavras que escrevi sobre o país:

No Senegal Me Sinto Entre Os Meus.
A Diáspora Invertida Rumo Aos Meus Irmão De Cor.
Me Vejo Nas Ruas, Nas Páginas De Revista, Nos Cartazes E Na Arte.
No Comercial De Café O Negro Não Aparece Amassando Os Grãos Como Escravo.
No Comercial De Café, O Negro Aparece Saboreando O Café.
Na TV Ele Não É O Servo, Ele É O Dono Da Casa.
No Senegal O Negro Faz Parte.
Aqui O Negro Está Em Toda A Parte E Não Somente Na Periferia.

O Mar Da África É Natureza E Memória.
O Mar Da África É A Saudade Dos Meus Antepassados Retornando Da América

Para acessar o que Débora Almeida escreve acesse: amocadosegundoandar.wordpress.com ou borboletaavoada.blogspot.com

.